Skip to main content

Alguns termos como Inteligência artificial, robótica, nuvem e internet das coisas, eram pouco conhecidos e falados há algum tempo atrás, mas hoje fazem parte do nosso cotidiano. Essas tecnologias fazem parte de um conceito que está em alta no setor industrial, a Indústria 4.0. 

Conhecida também como a Quarta Revolução Industrial, tem um impacto na produtividade, devido ao fato de aumentar a eficiência do uso de recursos e no desenvolvimento de produtos de larga escala. Além de implicar diretamente com as transformações nas gestões empresariais.

Nesse artigo vamos explicar tudo sobre esse conceito. Vem com a gente!

O que é a indústria 4.0?

O conceito Indústria 4.0 engloba automação e tecnologia da informação, bem como as inovações tecnológicas dessas áreas.

A indústria 4.0 traz um salto no setor tecnológico ao elevar essa automação à máxima potência, permitindo por exemplo que robôs desempenhem funções consideradas complexas. Com isso, concluímos que a Indústria 4.0 significa uma tecnologia industrial cada vez mais eficiente, mais inteligente, mais rápida e mais precisa e independente.

O foco da Indústria 4.0, conhecida também como Quarta Revolução Industrial é a melhoria da eficiência e produtividade dos processos.

Como e quando surgiu a indústria 4.0?

Na segunda década deste milênio um grupo de trabalho desenvolveu um projeto que consistia na implementação de soluções tecnológicas, com a ideia de promover a informatização da manufatura e a integração de dados. Esse grupo era liderado por Siegfried Dais e Henning Kagermann. O trabalho foi mencionado em 2011 pelo grupo durante a feira de Hannover, na Alemanha. Após 2 anos na mesma feira, o relatório final sobre a Indústria 4.0 foi apresentado e então o conceito passou a ser conhecido no mundo.

Diante disso, nasceu a ideia de fábricas inteligentes, onde as máquinas e equipamentos poderiam tomar decisões com base em dados.

Características da Indústria 4.0

A proporção da indústria 4.0 é bem ampla, isso se deve ao termo já estar associado a diversas tecnologias, fomentando um ambiente a uma inovação constante dentro da indústria. Temos como exemplo disso, a utilização mais elaborada de linhas de produção, a comunicação ativa e a possibilidade de gerenciamento mais aprofundado. Com isso os processos terão mais performance, além de minimizar a ocorrência de erros, bem como o desperdício de insumos, e isso inclui o tempo, que cada vez mais é um ativo valioso nas empresas.

As diferentes características da quarta revolução industrial formam subsídios suficientes para que possamos afirmar que, no futuro, as vantagens e aplicações estarão presentes em muito mais negócios e empresas, transformando de forma significativa o mercado.

Com a capacidade de trabalhar ainda mais baseando-se em dados e informações do mercado, a indústria poderá acompanhar as mudanças nos hábitos de consumo e nas demandas dos consumidores, sejam elas B2B ou B2C.

As mudanças proporcionadas pela indústria 4.0 exigirão um capital humano qualificado, apto a lidar cada vez mais com automação, além de estar preparado para agir de maneira mais estratégica e não tanto, ou quase nada operacional.

Quais são as principais tecnologias da Indústria 4.0?

Existem algumas principais tecnologias incorporadas na indústria 4.0. Temos certeza que você já ouviu falar sobre algumas delas, mas vale especificar o que é cada uma aqui.

Inteligência Artificial: trata-se de uma aplicação de análise avançada e técnicas baseadas em lógica, que inclui o aprendizado da máquina, para interpretar os eventos, além de analisar tendências e comportamentos de sistemas, automatizar decisões e realizar ações;

Computação em Nuvem: permite que as empresas acessem remotamente de diferentes dispositivos, recursos computacionais como um serviço, evitando desta forma grandes investimentos em equipamentos e suporte, permitindo que a empresa foque em seus investimentos e nas suas atividades principais. É aqui que acontece a distribuição de serviços de computação, tais como servidores, bancos de dados, armazenamento, redes, software, análises, tudo isso através da Internet, com a utilização de memória, capacidade de armazenamento e cálculo de computadores e servidores hospedados em datacenters, proporcionando recursos flexíveis e economia na escala;

Big data: certeza que você já ouviu sobre esse termo e trata-se de uma abordagem para atuar em um conjunto de dados com maior variedade e complexidade. Esses conjuntos de dados tendem a chegar em volumes crescentes e com velocidade, são usados para resolver problemas de negócios. Esses conjuntos de dados possuem um grande volume, o que acaba fazendo com que softwares de processamento considerados tradicionais não conseguem gerenciar esse conjunto de dados;

Cybersecurity(Cibersegurança): nada mais é do que um conjunto de infraestruturas de hardware e software voltado para a proteção dos ativos de informação, através do tratamento de ameaças que colocam em risco a informação que é processada, armazenada e transportada pelos sistemas de informação interligados;

IoT (Internet das Coisas): é a interconexão entre objetos por meio de infraestrutura habilitadora como eletrônica, software, sensores, por exemplo, que possuem a capacidade de computação distribuída e organizados em redes, que passam a se comunicar e interagir entre si, podendo ser remotamente monitorados ou controlados, resultando em eficiência;

Robótica Avançada: aqui os dispositivos agem em grande parte, ou parcialmente, de forma autônoma, interagindo fisicamente com as pessoas ou em seu ambiente, e são capazes de modificar seu comportamento com base em dados de sensores;

Manufatura Digital: uso de um sistema integrado, que consiste em simulação, visualização 3D, análises e ferramentas de colaboração para criar definições de processos de manufatura e produto simultaneamente;

Manufatura Aditiva: através de um desenho digital feito a partir de um software de modelagem tridimensional, é feita a fabricação de peças que sobrepõe camadas finas de material, por meio de uma Impressora 3D, uma a uma. Materiais como plástico, metal, ligas metálicas, cerâmica e areia, entre outros podem ser utilizados;

Integração de Sistemas: diferentes sistemas de computação e aplicações de software física ou funcionalmente se unem nessa tecnologia, com o intuito de atuar como um todo coordenado, possibilitando a troca de informações entre diferentes sistemas. Permitindo que as empresas tenham um olhar amplo sobre o seu negócio. As informações em tempo real sobre o processo produtivo influenciam a tomada de decisões gerenciais mais rapidamente, bem como decisões estratégicas sobre o negócio da empresa conseguem ser mais facilmente implementadas na planta de produção;

Sistemas de Simulação: computadores e conjunto de técnicas são utilizados para que modelos digitais que descrevem ou exibem a interação complexa entre várias variáveis dentro de um sistema sejam gerados;

Digitalização: tecnologias digitais usadas para transformar processos de produção, processos de desenvolvimento de produtos e de modelos de negócios. Visa a otimização e eficiência nos processos. A digitalização corre de mãos dadas com a transformação digital, já que a transformação digital abrange projeto e implementação de plano de digitalização, sensoriamento, aquisição e tratamento de dados.

É importante entender cada uma dessas tecnologias e qual papel elas desempenham em conjunto na indústria 4.0

Quais os princípios da Industria 4.0?

Falamos no tópico anterior sobre as tecnologias que envolvem a indústria 4.0. Diante disso é importante saber quais são seus princípios e a Indústria 4.0 possui 6:

Tempo real: permite uma tomada de decisão qualificada em tempo real, devido a capacidade de coletar e tratar dados de forma instantânea;

Virtualização: o sistema ciber físico, devido aos sensores espalhados em sua planta, possibilita rastrear e monitorar de forma remota todos os processos e isso só é possível quando a conectividade está garantida;

Autonomia ou Descentralização: onde a própria máquina passa a ser responsável pela tomada de decisão, isso se deve a sua capacidade de se auto ajustar e avaliar as necessidades da fábrica em tempo real, além de fornecer informações sobre seus ciclos de trabalho;

Orientação a Serviços: os softwares são orientados a disponibilizarem soluções como serviços, e são conectados com toda a indústria. Além disso, as operações específicas do produto podem ser compostas com base nas exigências específicas do cliente, aproximando a oferta de bens à de serviços personalizados;

Modularidade: capaz de se adaptar a mudanças abruptas no contexto e nas condições com rapidez e sem grandes impactos. Módulos são acoplados e desacoplados segundo a demanda da fábrica, oferecendo flexibilidade na alteração de tarefas;

Conectividade ou Interoperabilidade: capaz de garantir conexão, troca de informação e colaboração relevante tanto entre os sistemas ciber físicos entre si quanto entre eles e as pessoas. Pode lembrar um pouco o conceito de IoT, pelo qual as máquinas e sistemas podem se comunicar umas com as outras.

 Quais os impactos positivos da Indústria 4.0?

Com o uso das tecnologias digitais na indústria, foi possível aumentar a capacidade de produção de micro, pequenas e médias empresas de diversos segmentos como o segmento de alimentos e bebidas, vestuário e calçados. 

A implantação da indústria 4.0 na empresa traz alguns impactos positivos, tais como:

  • maior nível de automação;

  • melhor aplicação da manutenção preditiva;

  • possibilita a auto otimização de melhorias nos processos;

  • melhor nível de eficiência e capacidade de resposta aos clientes;

  • maior produtividade e qualidade aprimorada com o uso de dispositivos IoT nas fábricas inteligentes;

  • redução de erros de fabricação, custo e economia de tempo através da substituição da inspeção manual por insights visuais alimentados através da IA (inteligência artificial).

Os impactos que a Indústria 4.0 traz para as empresas são muitos. A quarta revolução industrial trouxe benefícios para as empresas e para a sociedade como um todo.

Quais os impactos negativos da Indústria 4.0?

O desenvolvimento da Indústria 4.0 envolve alguns impactos negativos que são considerados na verdade desafios, como o investimento em equipamentos que incorporem as tecnologias, a adaptação de processos e das formas de relacionamento entre empresas, bem como a criação de novas especialidades e desenvolvimento de competências.

Quando se investe em tecnologias inteligentes para o desenvolvimento da indústria 4.0, é importante se atentar aos desafios que a implementação traz, e não estamos falando em relação ao acesso às inovações e muito menos ao capital, mas sim a outros obstáculos como:

Lacuna nas habilidades técnicas: é preciso que os colaboradores estejam capacitados para acompanhar as demandas que o mercado exige. Alguns modelos de negócios necessitam de uma força de trabalho correta, logo contar com colaboradores que entendem tanto sobre os processos, quanto das ferramentas digitais que esses processos incluem, é um passo para que a implementação das novas tecnologias na empresa se tornem mais fácil e seja um sucesso;

Sensibilidade de dados: com o aumento do uso de tecnologias, as preocupações em relação à privacidade, propriedade e gerenciamento de dados cresceram. Isso se dá devido aos processo, como a implementação de uma algoritmo de inteligência artificial (IA), onde se faz necessário o uso de dados para que possa ser treinado e testado, e para que isso aconteça, dados devem ser compartilhados, e sabemos que compartilhar dados com desenvolvedores de soluções terceirizadas causa um certo receio, além de hoje estar em vigor a LGPD, o que torna esse processo para as empresas um pouco mais delicado;

Segurança: outro obstáculo quando o assunto é máquinas e dispositivos conectados a uma ou várias redes em uma fábrica inteligente, por exemplo, isso porque as vulnerabilidades em qualquer uma dessas peças do equipamento podem tornar o sistema vulnerável a ataques cibercriminosos. Para combater esse problema, o time de segurança da informação precisa estar atento e se antecipar às vulnerabilidades do sistema corporativo e as vulnerabilidades operacionais no nível da máquina;

Dados mais precisos e centrais: as empresas estão se tornando cada vez mais dependentes do uso de IA, com isso mais dados são gerados em um ritmo maior e em diversos formatos. Com essa vasta quantidade de dados, os algoritmos da inteligência artificial precisam ser de fácil compreensão e ser capazes de combinar dados que podem ser considerados de diferentes tipos e prazos.

Essas são alguns dos desafios que a indústria 4.0 traz junto com toda essa revolução.

Tem muito ainda o que explorar e falar sobre a quarta revolução industrial.

Quer saber quais soluções a Contacta oferece para que a implementação das tecnologias inteligentes que a indústria 4.0 traz possa acontecer em sua empresa? Fale  com um dos nossos especialistas e saiba mais.

Para maiores informações sobre o tema consulte um de nossos especialistas