Skip to main content

Dados confidenciais e de extrema importâncias trafegam na empresa e são processados e armazenados digitalmente na maioria das vezes. É crescente os riscos de ataques cibercriminosos e ameaças virtuais que podem ocasionar a perda ou vazamento desses dados, fazendo com que empresas busquem cada vez mais ferramentas e soluções de segurança, mas é preciso atenção e saber quais ferramentas e soluções são adequadas para o seu negócio e objetivo da empresa.

Iremos abordar pontos importantes sobre a SI (Segurança da Informação) durante todo esse artigo para mostrar à você a importância dela para o seu negócio.

O que é a Segurança da Informação?

Podemos dividir Segurança da Informação em dois conceitos para entender melhor, sendo:

Segurança: Percepção contra perigos, ameaças e incertezas;

Informação: Conteúdo de valor para uma pessoa física ou jurídica.

Diante dessa divisão, ou seja, Segurança da Informação é a proteção de dados contra as mais diversas ameaças através de ações que visam mitigar riscos e garantir a continuidade das operações de uma empresa.

Segurança da Informação é a garantia de que nenhum incidente venha acontecer aos dados importantes que são importantes para a empresa. Somente deixar os dados restritos à empresa não basta, é preciso entender os pilares que amparam a SI e o que cabe aos profissionais da área e quais ferramentas e soluções podem ser aliadas a SI em sua empresa.

E vale lembrar que o conceito Informação é amplo e abrange os mais diversos dados como dados financeiros, bancários, dados de um projeto, serviço, intelectual e muitos outros que venham a pertencer à empresa. É preciso entender quais dados circulam em sua empresa e que precisam ser seguros.

Quais os Pilares da Segurança da Informação?

Já falamos sobre os pilares de sustentação da Segurança da Informação no artigoTransformação Digital no Varejo: Como Garantir Conectividade com Segurança”, mas vale lembrá-los aqui e eles são Confidencialidade, Integridade, Disponibilidade e vamos acrescentar aqui mais 3 pilares, a  Autenticidade, Irretratabilidade e Conformidade. Vamos entender cada um deles:

Confidencialidade ou Privacidade: Trata de impedir o acesso não autorizado de pessoas ou dispositivos aos dados. Quanto maior for o tráfego de informações na empresa, maior será o risco de invasões ou vazamentos dessas informações caso a empresa não possua soluções de segurança. É importante ter uma preocupação maior do que só com a armazenagem dessas informações. É preciso garantir uma segurança de confidencialidade ou privacidade de ponta a ponta;

Integridade: Garante que a informação (dado ou conteúdo) não sofra nenhuma alteração sem uma autorização, e caso haja alteração, que essa possa ser identificada. É preciso analisar todo trânsito da informação, para que o dado ou conteúdo não sofra qualquer tipo de manipulação, desse modo as informações que serão armazenadas terão maior integridade;

Disponibilidade: Se negligenciado, pode causar grande impacto na empresa. É este pilar que definirá quais pessoas e dispositivos serão autorizados e terão acesso às informações  de acordo com a política da empresa. É preciso considerar toda a infraestrutura de segurança que a empresa tem em relação a ataques de negação de serviço, que sempre serão uma grande ameaça para os negócios em conectividade;

Autenticidade: Garante a identidade de quem está enviando a informação, ou seja, mostra quem realizou o acesso, fez atualizações, exclusões, alterações das informações, de modo que haja confirmação da sua autoria e originalidade;

Irretratabilidade: Esse pilar foi criado para impedir que o usuário negue sua a autoria de determinada informação, desse modo nem o autor ou receptor podem contestar qualquer transação que tenha sido ou seja realizada por eles. Garantindo a autenticidade;

Conformidade: A Segurança da Informação deve assegurar que os processos e políticas obedeçam às leis e normas regulamentadas. Agora com a LGPD (Lei Geral de Proteção de Dados) em vigor e com as sanções já valendo, esse pilar se torna tão importante e primordial quanto os demais, e é preciso um olhar mais atento para ele, para que seja garantido que os devidos protocolos sejam seguidos corretamente.

É preciso ter consciência do impacto que um ataque cibernético e entender a importância da SI para que isso não aconteça com a sua empresa.

Conceitos atribuídos à aplicações dos pilares

Vamos relacionar alguns conceitos aos pilares da Segurança da Informação, e são eles:

Vulnerabilidade: São os pontos fracos existentes na informação protegida, que pode ser prejudicial para alguns dos pilares da SI;

Ameaça: Elemento externo que pode se aproveitar da vulnerabilidade para atacar as informações consideradas importantes para a empresa;

Probabilidade: É a chance da vulnerabilidade existente ser explorada por uma ameaça;

Impacto: Consequências que a empresa pode sofrer caso ocorra algum incidente ou ataque às informações e elas sejam perdidas ou vazadas; 

Risco: Por último e não menos importante, estabelece uma relação entre o conceito Probabilidade e Impacto, ajudando a empresa a determinar onde deve concentrar os investimentos na Segurança da Informação.

 

 Qual a Importância da Segurança da Informação para o seu Negócio?

Entendendo agora sobre o conceito que envolve a Segurança da Informação, bem como os pilares que a sustenta, fica visível a importância da SI para seu negócio e empresa.

Não que não existissem ameaças no passado, mas com o avanço das tecnologias e a transformação digital sendo a realidade, as informações têm sido cada vez mais digitalizadas,armazenadas na nuvem e trafegam com maior facilidade na empresa, o que aumenta os risco de ataques e ameaças em torno informações, podendo ocasionar na perda ou roubo delas.

Ao mesmo tempo que a tecnologia avança e traz consigo benefícios e vantagens, como acessar informações de qualquer dispositivo, em qualquer lugar, traz também  uma maior exposição de dados. E se esses dados são confidenciais para a empresa, o risco aumenta muito mais, pois cibercriminosos estão a todo momento buscando falhas e vulnerabilidades de sistemas.

Uma empresa que não investe em soluções voltadas para a SI, não a coloca como prioridade nos negócios e não faz esforço algum para fazer acontecer, corre grande risco de sofrer ataques cibercriminosos, como o ransomware, iremos abordar mais para frente os principais ataques que rondam as empresas. 

É importante que as informações que são processadas e armazenadas na empresa sejam preservadas e mantidas longe do alcance de pessoas mal intencionadas, evitando prejuízos e a exposição da marca da sua empresa.

Qual o Papel do Profissional de Segurança da Informação?

A exposição de informações valiosas para a empresa correm riscos diariamente no mundo virtual e criar soluções minimizam essas ameaças, e é exatamente isso que um profissional de SI faz.

Conhecidos como “Xerifes da Era Digital”, eles monitoram riscos e projetam respostas a eles, evitando a apropriação de informações sigilosas e o uso delas em fraudes ou golpes. 

O profissional de Segurança da Informação é o especialista na segurança de redes corporativas e tem como responsabilidade desempenhar atividades que garantam, por meio do uso de mecanismos de defesa, que a rede não seja invadida por pessoas não autorizadas, protegendo as informações dos usuários da empresa e seus clientes. 

Responsável por definir políticas de acesso às informações protegidas, fazendo análises de risco, gerenciando redes de computadores, assegurando a confidencialidade das informações, além de  trabalhar na segurança de softwares e na infraestrutura de informática da empresa.
O profissional de SI faz também as auditorias e recuperação de informações.


É preciso entender que a empresa entenda qual o papel do profissional de SI e quais são as atividades que ele desempenha dentro da organização e no setor que atua.

Certificações Necessários que um Profissional de SI Precisa Ter:

Os nossos Xerifes da Era Digital precisam de algumas qualificações para exercerem as tarefas necessárias na Segurança da Informação e temos 4 certificações principais para a área:

CEH (Certified Ethical Hacker): Essa especialização serve para avaliar a segurança de sistema de computadores; 

CHFI (Computer Hacking Forensic Investigation): Tem como papel ensinar os profissionais de SI a detectarem crimes virtuais;

CISSP (Certified Information System Security Professional): Uma certificação que aborda práticas de controles de acessos; 

CCISO (Certified Chief Information Security Officer): Capacita os profissionais de SI aos mais altos níveis de Segurança da Informação.

Quais as Ameaças Mais Comuns na Segurança da Informação?

Ataques cibernéticos acontecem diariamente e é preciso cada vez mais estar atentos a eles. Vamos abordar e explicar alguns deles:

Ransomware: A cada dia que passa esse tipo de ataque cresce entre as empresas. Um código malicioso que sequestra os dados armazenados e exige um pagamento de resgate para devolver o acesso à empresa;

Phishing: Presente desde sempre em ataques cibercriminosos. Ocorre geralmente através de links de e-mails falsos, mensagens instantâneas e até mesmo por uma ligação de telefone. Sua finalidade é roubar dados como contas e senhas de bancos;

Malware: Tipo de programa malicioso que através de uma vulnerabilidade se instala na rede, que diminui o desempenho do computador.

Falando em Malware, quais são os principais tipos?

Já sabemos o que é Malware, agora vamos aos principais tipos da atualidade:

Vírus: É o mais conhecido e leva esse nome por agir com um vírus biológico infectando o dispositivo e executando ações para qual foi programado;

Bots e Botnets: Transforma o computador em um “zumbi”, fazendo com que tarefas sejam executadas de forma automatizada, sem que o usuário tenha conhecimento. Usado por hackers para obter o controle remoto total de um computador afetado;

Worm ou Verme: Ação semelhante ao do vírus. Explora falhas em sistemas e programas operacionais;

Spyware: É o mais explorado atualmente. Esse tipo de malware espiona e permite a coleta de dados de diferentes finalidades, sejam eles bancários, pessoais;

Keylogger: Esse malware tem semelhança com o anterior, mas a captura dos dados ocorre somente na captura do que está sendo digitado;

Trojan: Permite acesso remoto ao dispositivo. Conhecido também como Cavalo de Tróia, pois se “disfarça” de um arquivo ou programa. Por isso leva esse nome, pois lembra bem o “presente” dados pelos gregos aos troianos.

Como garantir a Segurança da Informação no seu Negócio?

Como vimos, os ataques cibernéticos aumentam diariamente e são assuntos de grande preocupação para as empresas de todo porte e de qualquer segmento.

Separamos algumas boas práticas de como garantir a segurança na rede da sua empresa contra possíveis ataques:

  • Ofereça treinamentos adequados para o time de segurança cibernética da sua empresa;

  • Crie senhas fortes que combinem letras maiúsculas e minúsculas, número e símbolos e use diferentes senhas para diferentes contas;

  • Atualize aplicativos e sistemas operacionais utilizados na empresa. As atualizações garantem as correções de segurança;

  • Verifique se estão instalados os firewalls e softwares de antivírus;

     

  • É importante fazer o backup de dados e informações que trafegam na empresa, evitando possíveis ataque de ransomware;

  • Adquira soluções de segurança para proteger e bloquear ataques de malware nos dispositivos usados na empresa.

O que são Controles de Segurança?

Antes de citarmos o que são controles de segurança na SI, é preciso entender antes o que são mecanismos de segurança.

Mecanismos de segurança são ações, métodos, técnicas ou ferramentas estabelecidas que tem como objetivo preservar a informação confidencial e crítica para uma empresa.
E esses mecanismos são aplicados e divididos em dois tipos de controles:

Controle Lógico:  Chamados também de controles digitais, são barreiras eletrônicas que através de softwares e dados monitoram e controlam o acesso a informações e sistemas de computação;

Controle Físico: Além de contar com o controle lógico, a empresa precisa também ter o controle físico, que monitora e controla o ambiente do local de trabalho e das instalações de computação, como o local de instalação do servidor  da empresa, por exemplo. 

Quais controles físicos e lógicos são os mais usados para garantir a proteção da informação?

Selecionar e implementar controles de segurança adequados ajuda a empresa na organização a reduzir os riscos de ataques e ameaças.

Controle Lógico, podemos citar alguns exemplos:

Criptografia: Transforma a informação em código que terceiros sem autorização não conseguem decifrar. A informação se torna ilegível a outra pessoa ou sistema;

Assinatura Digital e Certificação: Enquanto um gera e valida os dados, o outro atesta a validade do documento;

Controle de Acesso: Aqui é onde englobam as senhas, leitores biométricos (identificação através da impressão digital, reconhecimento facial, reconhecimento de voz, retina ou íris), cartões de acesso, dentre outros.

Já no Controle Físico encontramos:

Portas e Portões;
Fechaduras;
Câmeras de Segurança;
Muros;
Alarmes de Incêndio e Fumaça;
Guardas de Segurança;
Cancelas e Catracas Eletrônicas.

Um bom conjunto de controles lógicos e físicos são a chave para uma boa segurança da empresa.

Vantagens das Empresas ao Investir na Segurança da Informação

Garantir a segurança da informação na sua empresa traz vantagens e benefícios importantes ao seu negócio.

Reduz as Vulnerabilidades: Fortalecer a segurança dos dados torna a empresa mais preparada para lidar com incidentes e ameaças externas e internas. Devido aos sistemas serem acessados apenas por senhas individuais, contribuir com a gestão dos acessos internos, são mais um obstáculo contra invasões externas do sistema de informações da empresa;

Previne Prejuízos Financeiros e Prejuízo à Marca: Investir em SI evitará que a empresa perca dinheiro ao “apagar incêndios” com pequenos incidentes que acabam gerando um custo mais alto. Além de evitar que a marca da empresa perca a confiança do mercado e clientes, afinal uma empresa  que não investe em Segurança da Informação fica vulnerável, enfrenta indisponibilidade em sua infraestrutura e sofre ataques diretos com mais facilidade e isso acaba fazendo com que a empresa perca a credibilidade no mercado;

Melhoria Contínua: Uma proteção de segurança sistematizada facilita a criação de uma cultura em torno da Segurança da Informação na empresa. Com a SI completa onde todos os usuários, de todos os níveis da hierarquia, conhecem a política, têm plena consciência dos riscos e colaboram para evitá-los, a melhoria passa a ser contínua em todos os âmbitos do dia a dia operacional da empresa;

Continuidade do Negócio: Cada vez mais a informação assumirá um valor maior perante ao mercado e empresas que atualmente se blindam contra ameaças e fortalecem os mecanismos de controle de segurança tem chances maiores de permanecerem relevantes nos negócios nos próximos anos. Empresas que olham para o futuro, colhem os frutos de ter uma estratégia bem definida de Segurança da Informação.

Invista na Segurança da Informação da sua Empresa

Investir em Segurança da Informação requer um novo olhar sobre a importância e valor dos dados e para o uso das tecnologias. Mostramos durante todo esse artigo sérias razões para que a Segurança da Informação seja uma estratégia para o seu negócio.

A Contacta alia inovação e confiabilidade, reforçados pelos maiores players internacionais de Cyber Security, para desenhar ambientes seguros, flexíveis e escaláveis possibilitando a seus clientes usarem a Segurança da Informação como diferencial competitivo e pilar de negócios. 


Fale com nossos especialistas e conheça as soluções que a Contacta oferece.

Para maiores informações sobre o tema consulte um de nossos especialistas